sábado, 6 de março de 2010

MÁSCARA NEGRA


A última vez que estive por aqui escrevi que estava tentando agir mais com o coração e menos com a cabeça.

Pois bem, meu coração por fim gritou que estava viva e que devia sim era VIVER.

E o carnaval chegou!!!

Coloquei aquela fantasia e saí para curtir os blocos da cidade que foram muitos, mas muitos mesmo!!

Me esbaldei, me diverti horrores como há muuuitos e muitos carnavais não me divertia.

Fui em vários blocos, percorri a cidade, rindo, brincando, adorando tudo, sem esperar nada, apenas curtindo a vida... Fui pela primeira vez no Sambódromo, vi minha linda Escola do coração, Unidos da Tijuca, arrebentar em mais um carnaval – E ganhar depois de décadas - bebi todas, dancei muito, me acabei e me revigorei.

Mas que dia especial, que bloco especial, que.... Ah, o Cordão do Boitatá... O mais animado, o mais carnaval, o mais, o mais, o mais... Renasci!!!

Entre várias e várias marchinhas dos antigos carnavais, me senti uma Colombina e me tornei uma índia...

Para terminar este post, queria dizer/escrever que:

Vale!!!! Vale muito a pena virarmos páginas, andarmos pra frente, não revivermos passados que são apenas passados, não valorizarmos coisas sem importância, apenas vivermos e, definitivamente, deixarmos a vida ACONTECER.

Sempre que escutar vou me lembrar...

"Quanto riso, ah, quanta alegria
Mais de mil palhaços no salão
O Arlequim está chorando pelo amor da Colombina
No meio da multidão

Foi bom te ver outra vez
Ta fazendo um ano
Foi no carnaval que passou
Eu sou aquele Pierrot
Que te abraçou e te beijou meu amor

A mesma máscara negra que esconde seu rosto
Eu quero matar a saudade

Vou beijar-te agora
Não me leve a mal,
Hoje é carnaval"