domingo, 24 de outubro de 2010

A TEIA DA MINHA VIDA


Ontem, por um impulso, tive vontade de excluir este blog. Está grade “besteira” que foi criada por mim em um ato insano de infantilidade...

Confesso que nunca mais havia tido a vontade de colocar nada aqui e, algumas vezes, tive até vergonha deste espaço que criei por se tratar de algo tão adolescente.

Mas hoje, quando acordei e olhei para o meu lado e não vi nada, percebi que a minha vida tem sido de uma adolescente. A mesma casa, o mesmo quarto, o mesmo armário... e ninguém, ninguém ao meu lado.

Quero mudanças! Quero uma casa diferente, um quarto diferente... UMA VIDA DIFERENTE.

Minha vida se tornou um clichê, me sinto nas páginas daquelas “fotonovelas” (aff, isso é antigo vai denunciar minha idade...rs), bregas, onde a “mocinha” só chorava, só sofria, só vivia aquele mundinho de 24, 25 páginas, na mão de algum vilão.

Não quero que minha vida se transforme nessa fotonovela brega. Quero uma vida sem lágrimas, sem sofrimento, quero uma vida feliz. Quero uma vida de sucesso. Quero uma história!

Quero ser a atriz principal, não quero ser a coadjuvante.
Não quero ser a taça, quero ser o vinho.

Fecho este post com as palavras de Clarice:



É difícil perder-se. É tão difícil que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar, mesmo que achar-me seja de novo a mentira de que vivo.



sábado, 6 de março de 2010

MÁSCARA NEGRA


A última vez que estive por aqui escrevi que estava tentando agir mais com o coração e menos com a cabeça.

Pois bem, meu coração por fim gritou que estava viva e que devia sim era VIVER.

E o carnaval chegou!!!

Coloquei aquela fantasia e saí para curtir os blocos da cidade que foram muitos, mas muitos mesmo!!

Me esbaldei, me diverti horrores como há muuuitos e muitos carnavais não me divertia.

Fui em vários blocos, percorri a cidade, rindo, brincando, adorando tudo, sem esperar nada, apenas curtindo a vida... Fui pela primeira vez no Sambódromo, vi minha linda Escola do coração, Unidos da Tijuca, arrebentar em mais um carnaval – E ganhar depois de décadas - bebi todas, dancei muito, me acabei e me revigorei.

Mas que dia especial, que bloco especial, que.... Ah, o Cordão do Boitatá... O mais animado, o mais carnaval, o mais, o mais, o mais... Renasci!!!

Entre várias e várias marchinhas dos antigos carnavais, me senti uma Colombina e me tornei uma índia...

Para terminar este post, queria dizer/escrever que:

Vale!!!! Vale muito a pena virarmos páginas, andarmos pra frente, não revivermos passados que são apenas passados, não valorizarmos coisas sem importância, apenas vivermos e, definitivamente, deixarmos a vida ACONTECER.

Sempre que escutar vou me lembrar...

"Quanto riso, ah, quanta alegria
Mais de mil palhaços no salão
O Arlequim está chorando pelo amor da Colombina
No meio da multidão

Foi bom te ver outra vez
Ta fazendo um ano
Foi no carnaval que passou
Eu sou aquele Pierrot
Que te abraçou e te beijou meu amor

A mesma máscara negra que esconde seu rosto
Eu quero matar a saudade

Vou beijar-te agora
Não me leve a mal,
Hoje é carnaval"

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

ESCUTE A VOZ DE SEU CORAÇÃO


Estive esses dias tentando escutar essa tal voz que o povo tanto fala e cheguei à terrível conclusão que o meu coração deve ter nascido mudo.

Pior, cego e surdo também.

Ô orgãozinho complicado esse do meu corpo. Só me mete em furadas!!! *_*

Juro que queria ter uma tomada dentro de meu cérebro, onde tivesse duas opções: pensar/não pensar. Mas, infelizmente, só o pensar funciona em mim.

Minha cabeça é uma máquina de pensamentos. Penso mil coisas e não chego a nenhuma conclusão de nada. A “bichinha” tenta entender coisas, pessoas, atitudes... Mesmo sabendo que coisas, pessoas e atitudes, muitas vezes, não tem explicação.

Sendo assim, tenho tentado esquecer a cabeça e agir mais com o tal coração, mesmo que complicado e “deficiente”.

Por vezes, me vejo sentada em minha cama pedindo a Deus que meu coração me dê sinais, que a tal voz assuma seu lugar em minha vida e me guie por um caminho melhor, com menos espinhos e mais flores.

Talvez o segredo seja segurar as flores pelas pétalas, mesmo que as espedace - já que pelo caule posso, EU, me ferir.

Uma voz, um barulho ensurdecedor está acontecendo dentro de mim... É a batida do meu coração GRITANDO que ESTOU VIVA e isso já basta para a minha FELICIDADE.

Amanhã é um outro dia...

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

APENAS UM TOQUE...


Sabe...
... quando você quer falar e ninguém te ouve?
... quando você quer gritar e ninguém te escuta?

Estou me sentindo assim, simplesmente, ASSIM!

Minhas palavras não são compreendidas,
Meus "gritos" não são ouvidos...
Estou esquecida...
Todos me vêem, mas ninguém me enxerga.

Me sinto...
SOZINHA em meio a uma multidão que me vê, mas que não me SENTE.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

LÁGRIMA DE UM CORAÇÃO TORTO



AMO VOCÊ.!!


DE QUE MANEIRA EU AINDA NÃO SEI...


SÓ SEI QUE AMO SEU JEITO SEM JEITO QUE COMPLETA O MEU JEITO, TAMBÉM, DESASTRADO DE AMAR.









"Não adianta fugir


Nem mentir


Pra si mesmo agora


Há tanta vida lá fora


Aqui dentro sempre


Como uma onda no mar" (Lulu Santos)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O QUE ESPERAR?



Algumas vezes na nossa vida nos vemos esperando algo ou alguma coisa de um amigo, irmão, namorado, amor... e, nem sempre “ele” age de acordo com as nossas expectativas, ocasionando brigas, rompimentos, decepções e magoas; quando acredito que deveria apenas ocasionar um aprendizado, um conhecimento maior de nós e das pessoas que nos cercam.

Quantas histórias conhecemos de traições?

Quantas vezes escutamos alguém se lamentando sobre o comportamento de outrem?

Quantas vezes vimos lágrimas nos olhos de outra pessoa ou de nós mesmos por esperar algo mais e nos frustramos por isso?

Quantas vezes esperamos algo de alguém e esse alguém não pode ou não quer nos dar esse algo?

Quantas vezes, quantas vezes...?

Então, eu proponho um desafio: Que tal não esperarmos mais nada? Sei que é difícil, mas que tal tentar?

Eu estou tentando... Um dia, quem sabe, eu consigo...


"Eu apenas queria que você soubesse...Que aquela alegria ainda está comigo...E que a minha ternura não ficou na estrada...Não ficou no tempo presa na poeira...

Eu apenas queria que você soubesse...Que esta menina hoje é uma mulher...E que esta mulher é uma menina...Que colheu seu fruto flor do seu carinho...

Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta...Que hoje eu me gosto muito mais...Porque me entendo muito mais também...

E que a atitude de recomeçar é todo dia toda hora...É se respeitar na sua força e fé...E se olhar bem fundo até o dedão do pé...

Eu apenas queira que você soubesse...Que essa criança brinca nesta roda...E não teme o corte de novas feridas...Pois tem a saúde que aprendeu com a vida..."
(Gonzaguinha)